Lado Pessoal e Lado Profissional. Isso Existe?

Vejo muita gente dizendo que a empresa é um lugar no qual você não pode envolver seus sentimentos, e que você precisa ser profissional. Como se ser profissional significasse não ter sentimentos.

Já cansei de ouvir: Quando chegar na empresa, ligue a chavinha do profissional, e deixe seu lado pessoal, do lado de fora…

Sinto dizer… Ou melhor, sinto alegria em dizer, que vou ter que decepcionar todos esses conselhos.

Embora eu saiba que a mim foram dados por pessoas que eu estimo muito e que me desejam o melhor.

Preciso dizer que, não posso seguir esses conselhos, porque vão completamente contra os meus valores.

Porque acredito, piamente, que o bom profissional, não deixa de ser uma pessoa!

E que quanto mais pessoa ele for, melhor profissional ele pode ser. Acredito que um bom líder, precisa sentir e sentir muito, precisa da mais verdadeira forma de empatia, para compreender o mundo de todos aqueles que ele precisa liderar, para ser sábio e assertivo em suas decisões, extraindo de cada um da sua equipe, a maior e melhor produtividade possível.

Explorar o melhor em cada um, mas explorar de forma digna, idônea, respeitadora!

Trazendo a tona aquilo que a empresa precisa para crescer e o mais importante, aquilo que aquela pessoa precisa para crescer.

Eu acredito que as empresas e as escolas não devem ser muito diferentes, acredito que são miniaturas de mundo, e para que mais nós estamos no mundo, senão, para nos tornarmos pessoas melhores?

E contrariando mais uma vez os conselhos que recebi quero deixar um conselho meu para você:

Quer se tornar um grande profissional? Torne-se primeiro uma grande pessoa!

Ame, respeite, coloque-se no lugar do outro! E lembre-se, o bom profissional, o bom líder e o bom colega de trabalho não é aquele que reprime os sentimentos, mas aquele que consegue canalizá-los para criar um ambiente agradável e produtivo.

 

Dalila Ribeiro

 

 

CONTADOR

contador gratuito

Deixe uma resposta